A Culpa É Das Estrelas

O Que Podemos Esperar de A Culpa É Das Estrelas

A Culpa É Das EstrelasJohn Green é, possivelmente, o autor mais conhecido de ficção para jovens adultos atualmente em operação. Seu livro mais conhecido até agora é provavelmente  é A Culpa É Das Estrelas,no que o  filme é baseado neste livro.

Mas, novamente, uma breve pesquisa da história e seus temas podem fazer você se perguntar como isso poderia falhar. O personagem principal - cuja narração de voz-voz, desenhada textualmente das páginas do Sr. Green, enquadra a história - é Hazel Grace Lancaster, uma adolescente que viveu a maior parte de sua vida com o câncer metastático de tireóide que ela espera acabar muito em breve.

Ela se apaixona por Augustus Waters (Ansel Elgort), conhecido como Gus,  que também já passou pela não feliz experiência de cancer. E perdeu parte da perna para a doença, mas que tem estado saudável desde então e está determinado a levar uma vida extraordinária. Eles se conheceram num grupo de apoio da igreja.

Hazel Grace passa seus dias com um tubo plástico de oxigênio ancorado nas narinas e esgueirado em seu rosto, mas sua desempenho autoconsciente é o espelho perfeito do temperamento pragmático de seu personagem.

Gus, como Augustus gosta de ser chamado, enquanto isso, é um belo pacote de cavalaria, energia positiva e autodepreciação inviável que podemos nos apaixonar por ele, mesmo antes de Hazel. Com um cigarro não aceso em seu sorriso torto e arrogante, ele é um herói romântico perfeito, completo com um companheiro sentimental (Nat Wolff).

Os dois passam grande parte da história falando sobre o livro de Hazel, que não tem um final esclarecedor. Os elementos metatextuais com referências ao livro de ficção que os dois são ambos um fã de Uma aflição Imperial.

O enredo mostra-se maravilhoso, com personagens que são absolutamente credíveis e você acaba por se apaixonar completamente por eles. Toda a história está lindamente escrita e é apenas de tirar o fôlego e lágrimas dos olhos.

Não é um romance focado somente na doença dos protagonisras, apesar de ter muitas das armadilhas associadas ao gênero, é uma história sobre duas pessoas apaixonadas, apenas vivendo. Também tem certa inclinação filosófica em que discute o significado da vida e da morte.

Embora seja uma história de amor trágica, é também uma fantasia perfeita e irresistível. Hazel e Gus possuem uma autoridade moral absoluta, a capacidade de afirmar a verdade de sua experiência que poucos podem compartilhar e muitos podem desejar.

Eles conhecem o significado de suas próprias vidas, e tentam aproveita-la o quanto podem, o filme não pode deixar de dar crédito ao câncer por esse estado de perfeição tão tocante.

É lindo, apaixonante, engraçado e simplesmente fantástico. Ele mostra como uma vida curta ainda pode ser infinita, mesmo que seja menor. Encanta, entretém e educa e oferece um ponto de partida para que os jovens explorem e discutam importantes questões filosóficas. Distribuido pela 20th Century Fox.

Trailer: